projetos

BPM Girls – Mulheres bem-sucedidas na área de Gestão inspirando meninas da Computação

Compartilhe:

1. O que é o BPM Girls?

O BPM Girls é um projeto lançado pela dheka com o objetivo de incentivar a presença de mulheres no campo da Computação através da área de BPM (Gestão de Processos de Negócio). O slogan do projeto “Mulheres bem-sucedidas na área de Gestão inspirando meninas da Computação”, serve de inspiração para mulheres se interessarem pela carreira, seja atuando nos papéis de pesquisadoras, professoras, analistas de processos ou como consultoras em projetos de BPM no mercado.

A participação de mulheres nas áreas de Computação e Tecnologia da Informação ainda é baixa, por isso a importância de programas internacionais (WIT – Women in Techonology) e nacionais (projeto Meninas Digitais da Sociedade Brasileira de Computação) que têm como foco aumentar a participação feminina na tecnologia, no desenvolvimento de lideranças, educação tecnológica e o empoderamento de mulheres como protagonistas na indústria da inovação e tecnologia. Entretanto, a maioria é focada no desenvolvimento ou programação de software, como o Minas Programam. Já o objetivo do BPM Girls é incentivar a participação feminina na Computação através da área de gestão.

A área de BPM, por ser dedicada à gestão, tipicamente atrai mais profissionais e pesquisadoras do gênero feminino e pode exercer um papel muito importante de atração de alunas para a área de computação, já que está contemplada nos cursos de Sistemas de Informação e Ciência da Computação.

2. Como Funciona o BPM Girls?

A nossa ideia com o BPM Girls é criar uma comunidade de mulheres líderes na área de gestão de processos com diferentes perfis. Esta proposta irá impactar majoritariamente o universo feminino tanto do ponto de vista das líderes do setor quanto das aprendizes interessadas.

Iremos aproximar as alunas do ensino médio que muitas vezes têm dúvidas se elas se encaixam em uma área de Tecnologia da Informação por não conseguirem identificar facilmente uma participação feminina na área.

Essas meninas serão motivadas, incentivadas e inspiradas por mulheres bem-sucedidas na área de BPM, como profissionais, professoras, pesquisadoras, líderes, apoiadoras, empreendedoras, estudantes de mestrado/doutorado, mulheres em início ou em desenvolvimento de carreira.

As profissionais que já atuam na área também serão inspiradas por aquelas mulheres que são grandes empresárias e pesquisadoras proeminentes. 

As mulheres inspiradoras terão a oportunidade de dar maior visibilidade ao seu trabalho, de ter reconhecimento da sua senioridade e ao mesmo tempo contribuir para a formação e estímulo na carreira das demais participantes do BPM Girls.

A identificação de lideranças femininas pretende ampliar a sua visibilidade no mercado ao dar destaque a sua atuação. Desta forma, pretende-se ajudar a equilibrar a balança de um mercado que tradicionalmente oferece mais reconhecimento aos sucessos masculinos.

Então, a ideia do BPM Girls é formar uma rede win-win, que é como chamamos uma rede onde todas se beneficiam, agregando ganhos e benefícios para todas as partes envolvidas. A dheka tem muito orgulho de ter a chance de estar congregando todas essas mulheres. Curtiu o projeto? Se inscreva no formulário abaixo:

Inscreva-se para ser parte da rede do BPM Girls


3. Mulheres no Mercado de Trabalho

De acordo com o relatório feito pelo Fórum Econômico Mundial, o Brasil ocupa um triste ranking de 92º de 153 países que mais sustentam desigualdades econômicas baseadas em gênero, com dados desde 2016. Apesar da crise econômica e política que fez com que o desemprego crescesse para todos, registrou-se que o desemprego entre mulheres é cerca de 30% maior que entre indivíduos do gênero masculino. Mesmo assim, atualmente, quase metade dos pequenos negócios no Brasil são liderados por mulheres. Analisando o mercado, vemos que mulheres empreendedoras e que estão em altas posições de liderança, ainda são um número menor do que gostaríamos.

Em meio a pandemia, a participação das mulheres no mercado de trabalho alcançou o patamar mais baixo nos últimos 30 anos. Os hábitos e a cultura da sociedade têm impedido muitas mulheres não só de trabalhar, mas até de procurar emprego. E, dentro de casa, elas ficam ainda mais sobrecarregadas.

Segundo o Estadão – Portal do Estado de São Paulo, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a participação feminina no mercado de trabalho (mulheres que trabalham ou estão procurando emprego) ficou em 46,3% no segundo trimestre de 2020. Desde 1991 o número não caía abaixo dos 50% e desde 1990 não atingia valor tão baixo, quando ficou em 44,2%. 

A queda da participação feminina no mercado de trabalho evidencia que as mulheres são as mais atingidas pela crise econômica agravada pela COVID-19. A obrigação que recai sobre as mulheres de cuidar dos filhos e de tarefas domésticas, mesmo sendo dever de todos independente do gênero, é um dos grandes motivos. E para mudar essa situação de vulnerabilidade, é importante tornar visível o papel das mulheres no lar, na comunidade e na sociedade.

Criar oportunidades para elas no mercado de trabalho e apoiar as suas iniciativas empreendedoras se faz cada vez mais necessário. Não é à toa que uma grande empresa, como o Google, lançou o “Cresça com o Women Will da Google, um programa de capacitação para o desenvolvimento pessoal e profissional das mulheres. Seja para encontrar novas oportunidades de emprego, mudar de carreira ou abrir seu negócio.

4. Andamento do Projeto

2019: A primeira palestra sobre o tema foi no Rio Info, que é o maior evento de TI no Rio de Janeiro, onde aconteceu uma sessão chamada Mulheres Tech, com a participação de mulheres de diferentes áreas relacionadas à tecnologia. Nesta ocasião, tivemos a chance de apresentar e discutir sobre esse projeto.

Rio Info BPM Girls
Mesa redonda no Rio Info

2019: Participação da Andrea no curso promovido pelo British Council em parceria com o Museu do Amanhã, chamado Mulheres na Ciência e Inovação, onde foram selecionadas a nível nacional 35 mulheres da área de STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics – Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), para estarem sendo estimuladas e inspiradas também por outras grandes empresárias e grandes pesquisadoras da área. Lá também houve a chance de falar um pouco sobre o projeto do BPM Girls e aprofundar as ideias para esse projeto.

Evento mulheres na ciência e inovação
Iniciativa do British Council. Foto Guilherme Leporace, acervo Museu do Amanhã

2018: Orientação da Andréa em trabalho de Iniciação Científica de um aluno de Ensino Médio que iniciou nossas primeiras pesquisas sobre o assunto. Este aluno, apesar de não ser uma BPM Girl (rsrs), esteve em contato com a área de processos e teve a oportunidade de conhecer um pouco mais dos cursos, bibliografia e pesquisadores da área. Assim, também serviu como termômetro para a aproximação entre alunos do Ensino Médio ao universo corporativo.

5. Como fazer parte do BPM Girls?

O projeto BPM Girls está em um momento de articulação da comunidade, através de contatos com outras profissionais da área. Então, o nosso pedido para você é: se você é estudante, profissional, professora, pesquisadora, líder, apoiadorx deste movimento de trazer mais mulheres para a Computação através da área de BPM, se inscreva!

Inscreva-se para ser parte da rede do BPM Girls


Se você conhece alguma BPM Girl que ainda não está acompanhando a dheka ou que não faz parte da nossa comunidade: indique o projeto para essa BPM Girl!

Nesse momento o mais importante é que a gente estabeleça esses contatos. As divulgações que fizemos já trouxeram alguns retornos como por exemplo convites para palestras em escolas de ensino médio, oportunidades de conversar com alunas de ensino médio para esclarecer as dúvidas, mostrar exemplos, entrevistas com pesquisadoras e líderes de forma a entender as propostas e visões de cada uma delas.

Nós temos trabalhado bastante nos bastidores em cima disso e achamos que finalmente chegou a hora de compartilhar todas essas ideias com os nossos BPM Friends, porque os homens também são muito bem-vindos e podem contribuir fazendo parte do grupo de “apoiadores” e incentivando o crescimento da participação feminina na área de BPM.

Gostou da proposta do projeto? Divulgue nas suas redes sociais e vamos aumentar a nossa rede de BPM Girls para que a gente possa ter a possibilidade de participar de mais palestras, eventos e encontros e alcançar cada vez mais meninas e mulheres.

Entrevistas do BPM Girls

Compartilhe:
gostei deste conteúdo
quero mais informações
X

nossas soluções

Assine nossa newsletter