blog

BPM e Gestão Financeira

A Importância dos Processos na Gestão Financeira Empresarial

Versão para impressão
Compartilhe:

Introdução

Quando fui convidado para escrever este artigo, fiquei em dúvida se seria possível criar um link entre a Gestão Financeira Empresarial e BPM mas, após longos 5 segundos pensando sobre o assunto, a resposta era óbvia para mim: é claro que é possível!

E, após outros 5 segundos, outra conclusão era mais gritante: a Gestão Financeira tem mais a ver com processos do que com a matemática.

Gestão Financeira Empresarial

A Gestão Financeira Empresarial nada mais é do que controlar, analisar e planejar o fluxo financeiro de um negócio e é impossível fazer qualquer um desses três sem processos bem definidos.

Quando você vê aqueles lindos dashboards cheios de gráficos coloridos e indicadores financeiros, aquilo é somente a ponta de um iceberg, que tem em sua base processos e mais processos que foram executados até aquele momento e, provavelmente, o monitoramento deste lindo dashboard desencadeará muitos outros processos.

Processos da Gestão Financeira

Vamos entender melhor cada um dos 3 processos da Gestão Financeira que citei anteriormente.

Controle: Este é um dos processos mais importantes da Gestão Financeira e também um dos mais negligenciados, provavelmente, por não haver nenhum “glamour” nele. Neste momento, não há gráficos coloridos ou dashboards piscantes. O trabalho é bem “braçal” e os processos reinam.

Este processo deve controlar as entradas, saídas e movimentações financeiras da empresa. Setores comerciais e administrativo-financeiro (contas a pagar e receber, tesouraria, etc.) devem trabalhar em perfeita sincronia para que nenhuma movimentação fique de fora, fazendo com que a empresa tenha perdas. Desta forma, teremos dados consistentes para alimentar os relatórios e dashboards que serão entregues e analisados pela diretoria.

É aí que mora o perigo e a importância deste processo: a tomada de decisões baseadas em dados inconsistentes e, muitas vezes, frutos de processos falhos.

Análise: Aqui temos os dashboards e relatórios que serão analisados pela alta gestão. Relatórios diferentes são analisados com periodicidades diferentes, cada um no seu momento específico. Pasmem: dependendo do relatório, existe um processo até para a sua análise!

Planejamento: Depois de feitas as análises, é hora de planejar as ações que buscarão melhorar os resultados e corrigir erros detectados.

O orçamento anual, momento em que as empresas planejam o próximo ano fiscal, também é baseado em processos onde as metas (de resultados ou redução de custos) são determinadas pela alta diretoria. Posteriormente, são transmitidas aos gestores de departamento que devem se coordenar para definir as ações que levem a empresa a atingir os objetivos definidos.

Em seguida, o planejamento volta para o aceite ou renegociação com os diretores. No ano seguinte, um processo chamado “forecast” acompanhará mensalmente as metas e fará os ajustes necessários.

Conclusão

A Gestão Financeira é um grande processo cíclico, como o ciclo PDCA (Planejar, Executar, Analisar e Agir). Sem processos bem definidos, a Gestão Financeira tende a falhar, seja por perda financeira durante a fase de controle, análise de dados inconsistentes ou falta de processos de análise e planejamento.

50% da Gestão Financeira são processos, os outros 50% são a competência do gestor em saber quais indicadores analisar e quais ações devem ser tomadas para otimizar custos e despesas e potencializar bons resultados.

Compartilhe:
Bruno Mattos
gostei deste conteúdo
quero mais informações
X

nossas soluções

Assine nossa newsletter