blog

Conheça os principais personagens da gestão de processos de negócio

Versão para impressão
Compartilhe:

Introdução

É comum quem está começando no mundo BPM ter dúvidas a respeito dos papéis desempenhados em um projeto de BPM. Por isso, no post de hoje, vamos apresentar os principais personagens da disciplina de gestão de processos e falar um pouquinho sobre os papéis de cada um deles: Patrocinador do projeto, Especialista de Negócio, Dono do Processo, Gerente do Processo, Gestor de Processo, Analista de Processos, Modelador de Processos, Arquiteto de Processos e Implementador de Processos.

Personagens de BPM

1. Patrocinador do Projeto

patrocinador do projeto

Patrocinador(a) de um projeto de BPM pode ser qualquer um com nível executivo dentro da empresa. Normalmente é alguém de uma posição hierárquica elevada, pois está bancando o projeto. Muitas vezes, é ele(a) quem financia o projeto em termos de custos, mas também tem a missão de levantar a bandeira do BPM. Por compreender a importância da gestão de processos, o/a Patrocinador(a) defende a importância dos projetos de BPM dentro da empresa. Portanto, é a pessoa que faz o trabalho de aculturamento e de mudança organizacional.


2. Especialista de Negócio

Especialista de Negócio é alguém de uma área de negócio. É a pessoa que conhece o processo na prática e sabe como aquele processo funciona. Não precisa ser especialista da área de BPM, mas precisa ser expert na sua área de domínio de conhecimento. Este personagem é quem vai contar para a equipe de processos como funciona o processo na prática.


3. Gestor ou Dono do Processo

dono do processo

O personagem conhecido como dono do processo, gerente do processo ou gestor de processo tem uma nomenclatura que varia de acordo com diferentes autores da literatura. Alguns autores consideram que não existe diferença entre esses 3 papéis na disciplina de gestão de processos, enquanto outros fazem a seguinte diferenciação: o dono do processo estaria acima do gestor/gerente do processo, então o dono teria uma visão mais alto nível sobre o processo enquanto o gestor do processo cuidaria do dia a dia do funcionamento daquele processo.

Ambos têm a função de fazer o processo funcionar bem na prática, de garantir o desempenho desse processo, de cuidar para que o processo seja transversal, ou seja, que o processo atravesse as diferentes áreas da empresa. Então, estes personagens têm a mesma função, mas em alguns casos eles têm um nível de atuação diferente.


4. Analista e Modelador de Processos

Em algumas empresas, é comum que os papéis de analista de processos e de modelador de processos fiquem concentrados em uma única pessoa e se misturam: conduz as entrevistas de levantamento de processos, discute os processos com o cliente e também modela o processo na ferramenta, pois conhece a notação BPMN e depois volta para validar esse processo com os clientes.

Em outros casos, estes personagens se diferenciam: o analista de processos fica focado na interação com o cliente na fase de levantamento do processo e de validação do processo, enquanto o modelador é o especialista em pilotar a ferramenta de modelagem de processos, usando a notação escolhida para criar os modelos de processos.


5. Arquiteto de Processos

arquiteto de processos

Lembra quando falamos de Cadeia de Valor e Arquitetura de Processos? O Arquiteto de Processos é quem conhece bem a estrutura complexa da Cadeia de Valor de uma empresa e ajuda a encaixar o processo nessa estrutura de processos que a empresa já possui. Ele também analisa se é necessário realizar alguma mudança ou flexibilização nessa Cadeia de Valor ou na Arquitetura de Processos para encaixar os novos processos que estão sendo modelados, ou seja, ele tem esse olhar sobre a visão geral dos processos da empresa.


6. Especialista Técnico ou Implementador de Processos

implementador de processos

Implementador de Processos é o especialista na automação de processos. É este personagem quem implementa o processo na ferramenta de automação (BPMS ou RPA, por exemplo). Então, conhece a tecnologia e sabe transformar o modelo que está no mapa de processos em algo que pode ser executado dentro da ferramenta. Atua na parte técnica de construção dos formulários, acionamento dos webservices e assim por diante. Normalmente, possui um perfil mais técnico e focado em ferramentas de BPMS ou RPA.

Conclusão

Existem diversos papéis que participam da gestão de processos de negócio. Alguns atuam ao longo de todo o ciclo de vida BPM, como é o caso, por exemplo, do Patrocinador do Projeto, e outros participam apenas de etapas específicas como é o caso do Especialista de Negócio.

Entre todos esses papéis quais são aqueles que você já exerceu ou gostaria de exercer? Você está preparado para estas funções do mercado? Conheça os nossos treinamentos em Técnicas de Levantamento de Processos e Escritório de Processos!

Compartilhe:
gostei deste conteúdo
quero mais informações
X

nossas soluções

Assine nossa newsletter