Disciplinas de Gerenciamento de Projetos |

fevereiro

19

2019

19 fevereiro 2019,
 0
Compartilhe:

Gerenciamento de Projetos

O Gerenciamento de Projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades e técnicas para execução bem-sucedida de projetos (PMBoK, 2018). Com o gerenciamento dos seus projetos, as empresas conseguem atingir melhores resultados e assim alcançar seus objetivos de negócio, se tornando mais competitivas.

Gerenciar projetos compreende elaborar planos adequados às características dos projetos atuais e executar processos de controle capazes de garantir o bom desempenho do projeto. Este bom desempenho envolve a harmonização de 4 dimensões: Escopo, Tempo, Custo e Qualidade.

Na dheka, a Gerência de Projetos é baseada em metodologia, estratégias e ferramentas para o planejamento e acompanhamento dos projetos. Este serviço se destaca pela excelência técnica e profissionalismo aplicados para que os projetos atinjam os prazos e orçamento planejados.

Disciplinas da Gestão de Projetos

Cada uma das disciplinas descreve os conhecimentos e práticas necessários em gerência de projetos, de forma alinhada as melhores práticas de mercado e baseada em modelos de referência como o PMBoK (Project Management Body of Knowledge).


Gerenciamento de Integração: Nesta disciplina trabalhamos com uma matriz de interdependências priorizada pelo caminho crítico do projeto que é mantida através de várias visões: natureza da interdependência, responsabilidades, grau e criticidade. A matriz de interdependência é gerada diretamente da programação das atividades do projeto (cronograma) para que se tenha consistência e integridade na análise de impacto perante os desvios tanto para eventuais atrasos quanto possibilidades de antecipações. A matriz é monitorada e atualizada de acordo com o ciclo estabelecido para o monitoramento das atividades do projeto.

A equipe do projeto deve ter pleno conhecimento das dependências do projeto em relação a outros projetos em planejamento ou em execução na empresa, assim como das dependências com fornecedores e órgãos externos regulamentadores ou não, sob pena do projeto ser interrompido ou sofrer atraso na sua conclusão caso não sejam devidamente identificadas e monitoradas todas as dependências que participam do caminho crítico deste.


Gerenciamento de Escopo: Nesta disciplina desenvolvemos a declaração do escopo para explicitar seu objetivo e ter claramente suas fronteiras delimitadas, e assim ser base para futuras decisões no projeto, subdividindo os principais subprodutos do projeto em componentes menores e mais gerenciáveis. A aprovação do escopo determina o objeto de realização do projeto. Os procedimentos definidos para o gerenciamento do escopo devem ser conduzidos de forma a assegurar um efetivo gerenciamento das mudanças de escopo, prazo, custos e replanejamentos de atividades.

No que tange à gestão de requisitos e de mudanças, implementamos o processo de change request, estabelecendo alçadas de aprovação, a identificação e classificação dos impactos, direcionando aos responsáveis às ações a serem implementadas.


Gerenciamento de Recursos Humanos: Nesta disciplina, busca-se identificar, adquirir e gerenciar os recursos necessários para a conclusão bem-sucedida do projeto. A ideia é garantir que os recursos certos estarão disponíveis para o gerente do projeto e a sua equipe na hora e no lugar certos.

A equipe do projeto consiste de indivíduos com papéis e responsabilidades atribuídos, que trabalham coletivamente para alcançar um objetivo de projeto compartilhado. O gerente do projeto deve investir esforço adequado para adquirir, gerenciar, motivar e dar autonomia à equipe do projeto. Embora os papéis e responsabilidades específicos para os membros da equipe do projeto sejam designados, o envolvimento de todos os membros da equipe no planejamento do projeto e na tomada de decisões pode ser benéfico. A participação dos membros da equipe durante o planejamento agrega seus conhecimentos ao processo e fortalece o compromisso com o projeto.


Gerenciamento de Aquisições:Nesta disciplina, são realizadas as atividades necessárias para comprar ou adquirir produtos, serviços ou resultados externos à equipe do projeto. Implementa-se o gerenciamento e controle necessários para desenvolver e administrar acordos como contratos, pedidos de compra, memorandos de entendimento (MOAs) ou acordos de nível de serviço (SLAs) internos.


Gerenciamento de Comunicação: Nesta disciplina, busca-se atender aos prazos estipulados para elaboração e distribuição de comunicações e relatórios do projeto. Assim, é realizado o monitoramento e ciclos de reporte periódicos, conforme a estrutura de governança estabelecida para o projeto.

Uma comunicação eficaz é chave para o sucesso de um projeto. Planejar a comunicação pode se tornar um fator crítico de sucesso, particularmente em projetos que envolvem um grande número de stakeholders ou um elevado teor de Gestão da Mudança.  Planejar as comunicações de antemão permite uma gestão mais proativa das mensagens e fluxo de informações.



Gerenciamento de Partes Interessadas: Nesta disciplina, busca-se a compreensão das expectativas e necessidades dos diversos clientes, permitindo-nos conceder aos clientes uma experiência superior de consumo dos dados gerados e dos exercícios de gestão em que estarão envolvidos.


Gerenciamento de Qualidade: Nesta disciplina, estabelecemos os procedimentos que cuidam da qualidade no projeto, considerando a revisão e preparação para entrega de todos os artefatos do projeto. 

De modo a verificar não conformidades e proceder à aplicação de medidas corretivas, são criados checklists abrangentes.


Gerenciamento do Cronograma do Projeto: Nesta disciplina, os prazos do projeto serão definidos e validados, através de uma programação de atividades levando em consideração as interdependências que afetam o caminho crítico de forma significativa. Serão administradas as folgas e as contingências possíveis para o projeto. Através de uma curva de desempenho avaliamos os desvios entre os prazos previstos e realizados, zelando pelo cumprimento das datas dos entregáveis dentro dos prazos estabelecidos e aprovados.

O desempenho do projeto é monitorado e medido sistematicamente para identificar as variações do plano do projeto estimado na fase de planejamento. Na medida em que são identificados desvios significativos (aqueles que colocam em risco os objetivos do projeto), realizam-se ajustes ao plano através da repetição dos processos de planejamento, bem como direcionamento das ações corretivas, antecipando-se aos problemas.


Gerenciamento de Riscos: Nesta disciplina, visamos implementar ações para aumentar a probabilidade e o impacto dos eventos positivos e diminuir a probabilidade e o impacto dos eventos adversos ao projeto. Assim, seguimos a seguinte abordagem para Identificar, Analisar, Planejar, Monitorar e Controlar os riscos:

O foco é uma abordagem de riscos capaz de antever oportunidades e ameaças que possam afetar o bom desempenho do projeto. O gerenciamento dos riscos do projeto baseia-se na organização dos respectivos riscos e interdependências, estabelecendo-se imediatamente um processo de controle, monitoramento e reporte capaz de identificar eventos que possam materializar os riscos, de forma clara e assertiva, facilitando a tomada de decisão.


Gerenciamento de Custos: Nesta disciplina, busca-se que que o projeto possa ser realizado dentro do orçamento aprovado. Isso requer planejamento, estimativa, orçamento, financiamento, gerenciamento e controle dos custos.

O Gerenciamento de Custos preocupa-se principalmente com o custo dos recursos necessários para completar as atividades do projeto. Para isso, deve-se considerar o efeito das decisões do projeto no custo recorrente subsequente do uso, manutenção e suporte do produto, serviço ou resultado do projeto.

Referências

PMI. “A Guide to the Project Management Body of Knowledge“. 6a. Ed. Project Management Institute, 2018. 


Compartilhe:
Andrea Magalhaes Magdaleno
Andréa Magalhães  
Compartilhe:

Andréa é professora do Instituto de Computação (IC) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atuou como pós-doutora e pesquisadora pela COPPE/UFRJ em 2014 e na UNIRIO em 2015. Concluiu seu doutorado em Engenharia de Software com foco em Processos e Colaboração pela COPPE/UFRJ em 2013.  Também ministra cursos de pós-gradução e extensão pela PUC-Rio.

Experiência de participação em projetos de consultoria para diferentes empresas, como Petros, Vale, TIM, Petrobras, SENAI-CETIQT, Shell, Arquivo Nacional e Mongeral Aegon. Atua há mais de 15 anos nas áreas de Gestão de Processos de Negócio (BPM), Gerência de Projetos e Requisitos. Atuou durante 2,5 anos como Gerente na Ernst Young (EY). 

Nessas áreas, também ministra cursos de pós-graduação e extensão, orienta alunos e possui trabalhos publicados em congressos e revistas nacionais e internacionais.

Compartilhe: