Process Thinking – Processos de forma lúdica, ágil e inovadora

novembro

2

2014

2 novembro 2014,
 1

Process Thinking – Processos de forma lúdica, ágil e inovadora


No post anterior (Repensando os processos das startups e MPMEs), nós explicamos a importância do Process Thinking para as startups, micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). Neste post de hoje, além de reforçarmos a sua importância, também vamos explicar os seus produtos e serviços.

Segundo dados do Sebrae, aproximadamente 25% das MPMEs vão a falência nos seus dois primeiros anos de funcionamento e uma das principais causas apontadas nos estudos é a falta de gestão.  Na prática, uma em cada quatro empresas fecha até dois anos após a criação. Grande parte desse índice pode ser atribuída à má administração. A falta de gestão profissional põe em risco a sobrevivência das micro e pequenas empresas (PMEs).

Mais preocupantes ainda são os dados da Associação Brasileira de Startups (AB Startups), segundo os quais nove em cada dez startups quebram. É preciso diminuir a taxa de mortalidade dessas empresas em estágio inicial. Entre as dificuldades mais comuns, estão a falta de conhecimento sobre o mercado de atuação; a falta de identidade da marca – um diferencial; a falta de planejamento; e a falta de controle financeiro, consequência de uma gestão desorganizada. “Por isso a importância do apoio de profissionais experientes, para que, desde a concepção do projeto, todos os pontos sejam bem avaliados”, afirma Priscila Spadinger, Executiva de Negócios da B2L Investimentos, especialista em startups.

Estes fatos podem ser explicados pelo mercado cada vez mais competitivo e turbulento em que muitas destas empresas estão operando. Um dos principais aspectos que influenciam o nível de competitividade de uma empresa é a velocidade com que ela consegue responder às novas demandas, oportunidades e ameaças do mercado. Assim, as empresas necessitam cada vez mais de agilidade nos seus processos para responder às demandas dos clientes, oferecendo rapidamente produtos e serviços de qualidade e personalizados (MAGDALENO et al., 2007).

O problema é que geralmente as startups e MPMEs (Micro, Pequenas e Médias Empresas) não têm o hábito de parar para pensar nos seus processos. O atual cenário de competitividade, oportunidades de negócios e grandes desafios tecnológicos consome rapidamente o fôlego destas empresas que muitas vezes não conseguem planejar ou organizar os seus processos.

Por sua vez, as metodologias de gestão de processos de negócio (BPM – Business Process Management) (DUMAS et al., 2013, WESKE, 2012) tradicionais costumam ser engessadas, sendo necessária a execução de todas as fases do ciclo de BPM (projeto, modelagem, simulação, execução, monitoramento e melhoria) para atingir os resultados desejados. Assim, os projetos se tornam extensos e caros. Porém, a realidade atual, principalmente das startups e MPMEs, demanda projetos de BPM mais dinâmicos enquanto os gestores buscam resultados cada vez mais rápidos.

Neste contexto, o Process Thinking se destaca por ter uma forma de pensar os processos voltada especificamente para o ambiente dinâmico das startups e MPMEs. Este contexto tem características próprias – modelo de negócio, cadeia de valor específica, objetivos de negócio, requisitos de agilidade e flexibilidade, participação e colaboração, artefatos e etc – não contempladas nas abordagens tradicionais de BPM.

O Process Thinking é uma solução que compreende:

Produtos e Serviços do Process Thinking

Produtos e Serviços do Process Thinking

Consultoria

Serviço de consultoria personalizado para as empresas que necessitam de orientações específicas e uma análise detalhada dos seus processos em particular. Este serviço permite que os processos específicos das empresas sejam levantados, discutidos e analisados em conjunto com consultores especialistas em BPM, empreendedorismo e inovação da dheka, para que propostas de melhorias voltadas as necessidades particulares da empresa sejam apresentadas.

Cards Kit

Produto concreto com cartas que auxiliam o repensar dos processos pelos próprios empreendedores. Ao ter em mãos um conjunto de cartas que levantam questões típicas dos principais processos gerais de uma startup ou MPME, os próprios gestores dessas empresas são levados a exercitar o raciocínio da melhoria de processos por conta própria. Através do site do produto, este empreendedor também tem acesso a templates e exemplos de documentos e a dicas de ferramentas úteis para apoiar aqueles processos;

Treinamento

Através de uma dinâmica de workshop, ensina os principais conceitos da gestão de processos para os empreendedores e promove a discussão e colaboração entre os participantes sobre a análise e melhoria dos processos comuns entre eles. Com o instrutor atuando como um facilitador e levantando os desafios típicos de cada um destes processos, os empreendedores ali reunidos podem compartilhar dicas, boas práticas, apresentar sugestões e aprender com as experiências apresentadas.

ProcessThinking - Treinamento

ProcessThinking – Treinamento

Referências

DUMAS, M.; ROSA, M. L.; MENDLING, J.; et al., 2013, Fundamentals of Business Process Management. 2013 edition ed. New York, Springer.

MAGDALENO, A. M.; ENGIEL, P.; TAVARES, R. L.; et al., 2017, “Bridging the Gap between Brazilian Startups and Business Processes – Process Thinking’s Initial Exploratory Case Study“, Revista Brasileira de Sistemas de Informação (iSys), v. 10, n. 1, pp. 19–38.

MAGDALENO, A. M.; CAPPELLI, C.; BAIÃO, F.; et al., 2007, “Uma Estratégia para Gestão Integrada de Processos e Tecnologia da Informação através da Modelagem de Processos de Negócio em Organizações”, Revista Cientefico – Faculdade Ruy Barbosa, pp. 45–53.

WESKE, M., 2012, Business Process Management: Concepts, Languages, Architectures. 2nd ed. Heidelberg ; New York, Springer.

 

Andréa Magalhães Magdaleno
Andréa Magalhães

Andréa é professora do Instituto de Computação (IC) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atuou como pós-doutora e pesquisadora pela COPPE/UFRJ em 2014 e na UNIRIO em 2015. Concluiu seu doutorado em Engenharia de Software com foco em Processos e Colaboração pela COPPE/UFRJ em 2013 e seu mestrado em Informática pelo NCE-IM/UFRJ em 2006. Certificada como implementadora MPS-BR.

Possui experiência de participação em projetos de consultoria para diferentes empresas, como Vale, TIM, Petrobras, Shell, Arquivo Nacional e Mongeral Aegon. Atua há mais de 15 anos como Gerente e Consultora especializada nas áreas de Gestão de Processos de Negócio (BPM), Gerência de Projetos e Requisitos.

Nessas áreas, também ministra cursos de pós-graduação e extensão e possui trabalhos publicados em congressos e revistas nacionais e internacionais.