Colaboração no Trabalho: A importância da equipe para seus negócios

agosto

14

2014

14 agosto 2014,
 2

Colaboração no Trabalho: A importância do trabalho em grupo para o sucesso dos negócios


A palavra colaboração deriva do latim com e laborare e significa trabalho em conjunto. Existe uma variedade de definições e entendimento sobre o significado da colaboração e falta um consenso sobre o assunto (THOMSON et al., 2009). Uma definição simples, objetiva e comumente aceita é oferecida por Vreede e Briggs (2005): “articulação de um esforço comum em direção a um objetivo”. Na dheka, adota-se uma definição similar para a colaboração: “trabalho em conjunto de duas ou mais pessoas para a realização de objetivos comuns”.

dheka_Colaboracao_Goal

Colaboração – Objetivos compartilhados pelo grupo

A colaboração é baseada em 4 aspectos-chave – comunicação, coordenação, memória e percepção – que se integram e se relacionam. Saiba mais sobre cada um deles nesse post.

Histórico e importância

A tendência natural da espécie humana é viver em grupos, trabalhando de forma colaborativa, para obter melhores resultados em decorrência do esforço conjunto. Com a Revolução Industrial, as atividades produtivas foram estruturadas focando na produção padronizada em larga escala. Neste modelo prevalecia a divisão do trabalho, com a especialização dos trabalhadores em cada uma das etapas de produção. Neste cenário, a colaboração era desafiada, mas se fazia presente através do encadeamento das etapas de produção, onde cada trabalhador contribuía para a criação do produto final.

Nas últimas décadas assistimos à globalização dos mercados. O atual cenário mundial oferece novas oportunidades de negócios às empresas, mas também apresenta grandes desafios. Neste ambiente competitivo, as organizações precisam de flexibilidade e agilidade para responder às demandas dos clientes, oferecendo rapidamente produtos e serviços de qualidade e personalizados.

Neste contexto, o trabalho em equipe se tornou uma importante estratégia de negócios e vem sendo demandado como instrumento para vencer os desafios do novo mundo globalizado. A complexidade crescente destes desafios passa a requerer habilidades multidisciplinares. Desta forma, a imagem popular do gênio solitário vai aos poucos sendo substituída pela crença de que “duas cabeças pensam melhor do que uma”. Assim, as organizações estão cada vez mais interessadas em promover a colaboração (online ou offline) no seu ambiente de trabalho.

 

Por que colaborar?

As razões pelas quais um determinado grupo de pessoas se reúne para realizar uma determinada tarefa podem ser as mais variadas possíveis. Quando uma tarefa ou problema é grande, complexo ou requer múltiplas competências, é necessário unir os esforços de várias pessoas. Em geral, grupos se formam para a construção de um produto que pode ser tão concreto como um texto, um software ou o projeto de um artefato; tão abstrato como uma decisão ou a formação de um conhecimento comum – um aprendizado – sobre um determinado assunto (MAGDALENO, 2013).

Durante o tempo no qual as pessoas estão trabalhando em conjunto, elas estão organizadas em grupos. Há uma expectativa de que os grupos tendam a superar o desempenho quantitativo e qualitativo de indivíduos agindo sozinhos. Os grupos podem alcançar uma compreensão que nenhum dos seus membros possuía previamente e que não poderia ter sido obtida caso tivessem trabalhado de forma isolada, pois representa mais do que a soma individual das partes (DEN HENGST et al., 2006).

dheka_Colaboracao_Team

Trabalho em Equipe

Quais são as vantagens e desafios da colaboração?

De modo geral, as principais vantagens ou benefícios da colaboração são: redução no tempo necessário para a execução de tarefas; melhoria da capacidade de resolver problemas complexos; aumento da capacidade criativa para gerar alternativas; discussão das vantagens e desvantagens de cada alternativa para selecionar as viáveis e tomar decisões; melhoria na comunicação; aprendizagem; satisfação pessoal; e estímulo à inovação (DEMARCO e LISTER, 1999).

dheka_Colaboracao_Rede

Colaboração em Rede

Apesar destes potenciais benefícios, alcançar uma colaboração efetiva ainda é um desafio para muitas empresas (BORRELLI et al., 1995, VREEDE e BRIGGS, 2005). Por isso, é importante determinar quando a cooperação é realmente necessária para usá-la de forma eficiente. A colaboração só deve ser adotada quando tem potencial para produzir melhores resultados do que os indivíduos trabalhando isoladamente. Este potencial da colaboração depende de alguns critérios, tais como alinhamento de objetivos, resultados esperados claramente definidos, patrocínio e disponibilidade de orçamento (HANSEN, 2009).

Em um contexto desfavorável, a colaboração também poderá enfrentar desafios: lentidão na execução das tarefas de forma colaborativa; falta de coordenação do trabalho; custo elevado da tomada de decisão; e resistência ao compartilhamento de conhecimento. Nestes casos, os recursos são consumidos em atividades ineficientes, sem atingir os benefícios desejados com o trabalho em equipe.

 

Conclusão

Apesar dos desafios, o trabalho em grupo vem conquistando cada vez mais espaço nas organizações que já reconhecem a sua importância para o sucesso do negócio. A solução de colaboração da dheka tem como objetivo aproximar processos e pessoas visando estimular a produtividade, qualidade e o compartilhamento de conhecimento.

 

Referências:

BORRELLI, G.; CABLE, J.; HIGGS, M., 1995, “What makes teams work better“, Team Performance Management, v. 1, n. 3, pp. 28–34.

DEMARCO, T.; LISTER, T., 1999, Peopleware: Productive Projects and Teams. 2 ed. New York, USA, Dorset House.

HANSEN, M. T., 2009, “When Internal Collaboration Is Bad for Your Company“, Harvard Business Review, v. 84, n. 3, pp. 83–88.

DEN HENGST, M.; DEAN, D. L.; KOLFSCHOTEN, G.; et al., 2006, “Assessing the Quality of Collaborative Processes“. Proceedings of the 39th Annual Hawaii International Conference on System Sciences (HICSS), pp. 1–10, Hyatt Regency, Kauai, Hawaii, USA.

MAGDALENO, A. M., 2013, COMPOOTIM: Em Direção ao Planejamento, Acompanhamento e Otimização da Colaboração na Definição de Processos de Software. Tese de Doutorado, COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

THOMSON, A. M.; PERRY, J. L.; MILLER, T. K., 2009, “Conceptualizing and Measuring Collaboration“, Journal of Public Administration Research and Theory, v. 19, n. 1, pp. 23 –56.

VREEDE, G.-J.; BRIGGS, R. O., 2005, “Collaboration Engineering: Designing Repeatable Processes for High-Value Collaborative Tasks“. In: Hawaii International Conference on System Sciences (HICSS), pp. 1–10, Hilton Waikoloa Village, Hawaii, USA.

 

Andréa Magalhães Magdaleno
Andréa Magalhães

Andréa é professora do Instituto de Computação (IC) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atuou como pós-doutora e pesquisadora pela COPPE/UFRJ em 2014 e na UNIRIO em 2015. Concluiu seu doutorado em Engenharia de Software com foco em Processos e Colaboração pela COPPE/UFRJ em 2013 e seu mestrado em Informática pelo NCE-IM/UFRJ em 2006. Certificada como implementadora MPS-BR.

Possui experiência de participação em projetos de consultoria para diferentes empresas, como Vale, TIM, Petrobras, Shell, Arquivo Nacional e Mongeral Aegon. Atua há mais de 15 anos como Gerente e Consultora especializada nas áreas de Gestão de Processos de Negócio (BPM), Gerência de Projetos e Requisitos.

Nessas áreas, também ministra cursos de pós-graduação e extensão e possui trabalhos publicados em congressos e revistas nacionais e internacionais.