Green BPM: Como analisar o impacto ambiental dos processos?

maio

11

2014

11 maio 2014,
 1

Green BPM: Como analisar o impacto ambiental dos processos da sua organização?


Atualmente, com a rápida evolução da tecnologia, os aparelhos eletrônicos se tornam obsoletos rapidamente. Por exemplo, os celulares em menos de 1 ano já possuem novas versões, com novas funcionalidades, tornando as anteriores ultrapassadas. Este caminho está levando à deteriorização ambiental e social.

Porém, a sociedade já está atenta a este problema e observa-se o crescimento da consciência ambiental. Além disso, as grandes empresas cada vez mais assumem um papel ativo no combate aos problemas ambientais. Por exemplo, lançando produtos menos poluentes, que combatam o desperdício ou investindo em tecnologias verdes (que se propõem a agredir menos o meio ambiente).

Assim, na área de processos surgiu a Gestão de Processos de Negócio Verde ou Green BPM. Mas o que a gestão de processos de negócio (Business Process Management – BPM) e a sustentabilidade têm em comum? Por que estes dois temas estão relacionados hoje em dia?

 

Conceitos do Green BPM

Conceitos do Green BPM

A resposta vem do fato de atualmente ser praticamente impossível pensar em um processo organizacional que não esteja interagindo com algum aspecto relacionado a sustentabilidade (do meio ambiente, empresarial, social e etc.). O Green BPM é especialmente útil para empresas com consciência ambiental e que incentivam a sustentabilidade. O Green BPM pode ser aplicado a qualquer tipo de processo de negócio.

O Green BPM se preocupa em analisar os processos de negócio, considerando o impacto ambiental que os produtos e serviços causam. A ideia é realizar a gestão de processos de maneira consciente, pensando na otimização dos recursos nas atividades do processo, na diminuição do impacto ambiental, na minimização do desperdício e na redução do consumo dos recursos não renováveis.

Exemplo:

Como exemplo podemos utilizar um processo de análise de documentação: O solicitante envia por correio a documentação a ser analisada, o correio entrega a documentação na empresa, que revisa a documentação e elabora um parecer técnico. Este parecer é impresso e enviado para que o coordenador faça as revisões. Após a conclusão das revisões, o analista elabora um novo parecer e imprime para assinatura do diretor. O diretor assina e carimba o parecer e envia pelo correio para o solicitante.

Exemplo de Process de Consumo

Exemplo de Process de Consumo

Pensando em uma solução verde neste caso, o processo poderia ser automatizado. Ou seja, se a documentação fosse enviada por e-mail para a empresa, haveria uma economia de papel e tinta que são recursos não renováveis. Além disso, não seria necessário o gasto de combustível para a entrega do documento na empresa. Já na empresa responsável pela análise, o fluxo do documento também poderia ser eletrônico evitando impressões e desperdício de papel. Após aprovado, o parecer poderia ser assinado digitalmente e enviado também por e-mail para o solicitante. Portanto, pode-se observar que a solução verde tem esses objetivos: poluir menos, minimizar o desperdício e reaproveitar os recursos.

Exemplo de Processo Verde

Exemplo de Processo Verde

Além dos benefícios em relação ao impacto ambiental o Green BPM também proporciona:

– Redução do custo de logística
– Facilidade de tomada de decisões considerando “escolhas verdes”
– Os processos verdes ajudam a prover soluções de TI verdes, que abrangem recursos tecnológicos que consumam menos energia, que não agridam o meio ambiente na sua operação e, por fim, não proporcionem ou pelo menos minimizem impactos no seu descarte, permitindo reciclagem e reutilização.
– Diminuição do uso de recursos não renováveis
– Diminuição do desperdício

 

O conceito de Green BPM ainda é bastante novo e as organizações ainda não possuem uma metodologia para a sua implantação. Porém, este conceito permeia todo o ciclo de BPM. Os processos devem focar na sustentabilidade durante sua execução. Durante as iniciativas de melhorias de processos, os analistas de processos podem prever benefícios diretos e indiretos a natureza.

Acreditando na importância da consciência ambiental, a dheka propõe uma abordagem de Green BPM para a inclusão de práticas verde ao longo das atividades do ciclo de BPM:

Green BPM Práticas

Green BPM Práticas

a) Projeto

– Planejar as iniciativas do Green BPM
– Priorizar as melhorias propostas levando em consideração as que têm mais impacto ambiental, social e econômico

b) Modelagem

– Capturar e desenhar o consumo planejado dos recursos (humanos, renováveis, e não renováveis) nas atividades

c) Simulação

– Simular o processo tentando reduzir o consumo provável dos recursos nas atividades

d) Execução

– Capturar em tempo de execução o consumo dos recursos nas atividades

e) Monitoramento

– Uso de indicadores relacionados a sustentabilidade (emissão de carbono, consumo de energia, consumo de papel).

f) Melhoria

Redesenho do processo com foco em:

– Limitar o impacto ambiental relacionado ao número de instancias do processo

– Maximizar a eficiência dos recursos

– Maximizar a exploração de recursos renováveis

 

Referências

BROCKE, J. VOM; SEIDEL, S.; RECKER, J.; et al., 2012, Green Business Process Management: Towards the Sustainable Enterprise. 2012 edition ed. Heidelberg; New York, Springer.

FURLAN, J. D., 2012, Green BPMBPM Global Trends.

SAUL, J., 2010, Social Innovation, Inc.: 5 Strategies for Driving Business Growth through Social Change. 1 edition ed. San Francisco, Jossey-Bass.

Grupo de Pesquisa em e-sustentabilidade no Brasil.

Site: Green Process

The Story of Stuff Project

 

Andréa Magalhães Magdaleno
Andréa Magalhães

Andréa é professora do Instituto de Computação (IC) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atuou como pós-doutora e pesquisadora pela COPPE/UFRJ em 2014 e na UNIRIO em 2015. Concluiu seu doutorado em Engenharia de Software com foco em Processos e Colaboração pela COPPE/UFRJ em 2013 e seu mestrado em Informática pelo NCE-IM/UFRJ em 2006. Certificada como implementadora MPS-BR.

Possui experiência de participação em projetos de consultoria para diferentes empresas, como Vale, TIM, Petrobras, Shell, Arquivo Nacional e Mongeral Aegon. Atua há mais de 15 anos como Gerente e Consultora especializada nas áreas de Gestão de Processos de Negócio (BPM), Gerência de Projetos e Requisitos.

Nessas áreas, também ministra cursos de pós-graduação e extensão e possui trabalhos publicados em congressos e revistas nacionais e internacionais.